O CAPESP | CAPESP – Centro Associativo dos Profissionais de Ensino do Estado de São Paulo

O CAPESP

Print Friendly

CAPESP – Uma entidade em contínua caminhada

O CAPESP, foi fundado em 1979 por um grupo de professores e funcionários públicos que idealizavam uma entidade voltada aos interesses do funcionalismo, dentro dos princípios do associativismo, buscando melhores condições de trabalho, saúde e lazer.

Inicialmente chamava-se “Centro Associativo dos Pequenos Servidores Públicos”.

O começo foi penoso e de grande dificuldade.

O primeiro desafio foi a conquista do desconto em folha. Porém, em pouco tempo foram somadas as 500 filiações necessárias para cristalizar o desconto em hollerith.

Em seguida foi a a busca da sede.

Mais sacrifício, mais luta e o CAPESP se estabelece no Centro da Capital Paulista.

Filia-se a FESPESP (Federação das Entidades de Servidores Públicos do Estado de São Paulo), e participou “in loco” de diversas batalhas em defesa do funcionalismo.

Os anos 80 foram de construção de uma entidade que não serviria de escada para correntes políticas partidárias, porém não se esquivaria da discussão política, da crítica aos Governadores, da denúncia  das condições de trabalho.

Ao chegar aos 15 de fundação, o CAPESP está em outro patamar. Sua presença em Brasília é corriqueira, sempre na defesa dos aposentados e dos professores. Muda seu nome para ser mais próximo de seus associados, passando a ser o “Centro Associativo dos Profissionais de Ensino do Estado de São Paulo”.

Firma parceria com a SAMESP (Serviço de Assistência Médica ao Servidor Público)

Participa da fundação do SISPESP (Sindicato das Entidades do Serviço Público do Estado de São Paulo).

Em 1995, inicia a sua grande obra: a construção de sua Colônia de Férias.

Após a procura de terrenos pelo Litoral Sul  (Peruíbe, Balneário Gaivota – Itanhaém – Vila Atlântica – Mongaguá) chega-se a compra de dois lotes no Balneário Itaguaí.

Nesse período, que vai da fundação até a inauguração do atual “Centro de Lazer”, é justo destacar  seus antigos dirigentes. Dois precisam ser lembrados: Professor Antônio José do Nascimento (seu fundador e mola-mestra da entidade), e Professor Aníbal Hatten. Infelizmente, ambos já falecidos.

Em 1998, em virtude do falecimento do Prof Antônio José do Nascimento no meio de mandato, assume a Presidência, o Prof. Antônio Coelho, em seguida o Prof. Aníbal Hattem conduz a entidade até a sua normalização com a convocação de novas eleições.

E é nesse momento de incertezas que um grupo de Professores assume a entidade, numa mudança tranquila e de novos rumos para o Século XXI. O núcleo central deste grupo era composto pelos Professores Antônio Coelho, Rosemberg José, Carlos Quintino e Guilherme Nascimento. Junto com eles outros companheiros, como o Prof Paulo Arthur, a Professora Katia e a Professora Sandra.

Esse grupo novo, cheio de ideias, assume um primeiro compromisso: terminar as obras do Centro de Lazer.

Assim, em novembro de 1998 é entregue o Prédio do Centro de Lazer “Professor Antônio José do Nascimento”.

Em virtude das novas necessidades, a sede do CAPESP é transferida para a cidade de Mauá, visando sua expansão na região do Grande ABC.

A partir de então, novos projetos são colocados em prática: o site da entidade (www.capesp.org), a Revista “Cadernos de Cultura & Educação”, o Jornal “Capesp em Ação”, O projeto “Brasil 500 anos”.

Estabelece novas parcerias: Amplius Seguros e Foz Advocacia.

São realizados Seminários, Ciclos de Debates e  inúmeras discussões produtivas em seu interior.

Acentua-se a participação nas entidades de representação do funcionalismo.

Em 2002, pela primeira vez, o CAPESP assume uma direção na FESPESP (a diretoria de associativismo), e devido ao sucesso de seu trabalho, o CAPESP é convidado a assumir a direção da Tesouraria da FESPESP em 2005, cargo que é mantido até hoje, além de manter a direção de associativismo.

Na FESPESP, prega a união das  entidades do funcionalismo na defesa do respeito à data-base, ao repasse de 2% da contrapartida do IAMSPE; ao pagamento imediato dos precatórios alimentares; pelo fim da política de prêmios e gratificações e a incorporação e extensão aos aposentados; ou seja a criação de uma pauta unificada do funcionalismo.

Participa do Comitê de Defesa da Escola Pública.

Participa de Conselhos Municipais na cidade de Mauá (Conselho de Educação, e de Segurança Alimentar)

Inova com a discussão sobre a Educação Indígena, formando parcerias com aldeias Guarani em Mongaguá e Parelheiros. Abre a discussão sobre o índio urbano.

Inova com a discussão sobre a Síndrome de Burnout.

Cria uma rede de colaboradores correspondentes pelo Estado de São Paulo, abrangendo além da Capital: Ribeirão Preto, Campinas, Indaiatuba, Assis,  Lorena, Sorocaba, Santo André, São Caetano, São Bernardo, Diadema,  Ribeirão Pires, São Vicente, Santos, Praia Grande, Peruíbe, Itanhaém e Pariquera-Açu entre outras localidades.

Cria em seu interior os “Grupos de trabalho”, na área de educação ambiental, comunicações e  indígena.

Amplia o Centro de Lazer, com a compra de mais 2,5 lotes, possibilitando a construção da piscina (adulta e infantil) e do estacionamento.

O grupo de Trabalho de educação ambiental amplia sua ação com caminhadas, plantio de mudas e debates frequentes .

Inicia sua participação na CCM (Comissão Consultiva Mista) do IAMSPE, e em 2009 o CAPESP tem a Coordenação da Região do Litoral em sua responsabilidade.

Powered by WordPress | Download Free WordPress Themes | Thanks to Themes Gallery, Premium Free WordPress Themes and Free Premium WordPress Themes